Conheça 5 países que usam energia solar

6 minutos para ler

O Brasil é um dos países mais privilegiados do mundo quando se trata de potencial solar. De acordo com dados do Atlas Brasileiro de Energia Solar, a incidência de sol no território brasileiro fica entre 4.500 a 6.300 Wh/m² por dia. Mesmo assim, ainda estamos atrás de vários países que usam energia solar.

A geração nacional ainda é incipiente, seja em função do investimento, que inibe algumas iniciativas, seja pela falta de políticas públicas para estimular o setor. No entanto, o desconhecimento sobre linhas de financiamento, que viabilizam as instalações, e a economia, tanto de recursos naturais quanto financeiros, ainda é a principal barreira.

Quer conhecer mais sobre a experiência dos países que usam energia solar? Continue a leitura e confira também o potencial de crescimento dessa fonte renovável no mercado nacional.

Conheça a experiência dos países que usam energia solar

Mesmo sem ter a grande vantagem brasileira de quantidade de insolação, a tecnologia que possibilita a geração solar está muito mais desenvolvida em alguns países. As razões desse avanço são várias, desde a necessidade de independência dos combustíveis fósseis até o estímulo, por meio dos respectivos governos, à energia renovável.

Confira quais são os países que melhor aproveitam os recursos da energia fotovoltaica atualmente.

1. China

O país asiático tem a maior capacidade instalada de produção de energia solar do mundo, alcançando 130 gigawhatts — apenas a título de comparação, a capacidade brasileira atual fica em torno de 2 gigawhatts. A China conta com enormes fazendas solares, como a do deserto de Tengger, com capacidade de geração de 1.500 megawatts, e a de Longyanxia, no Planalto do Tibete, que produz 850 megawatts.

Além da capacidade de geração, a indústria que fabrica os equipamentos para sistemas fotovoltaicos na China também é bastante desenvolvida. Segundo levantamento da Agência Internacional de Energia (IEA), mais de 60% dos painéis fotovoltaicos do mundo são produzidos no país.

Conforme o relatório da IEA, em 2017, a energia solar representava, no país, 8,9% do total de todas as fontes utilizadas. A expectativa da entidade é de que até 2023 esse índice alcance 11,6%.

2. Japão

O Japão tem a segunda maior capacidade instalada do mundo. O país passou a apostar na geração solar após o terremoto e o tsunami de 2011, que destruíram a usina nuclear de Fukushima. Depois desse episódio, os reatores nucleares foram desativados e foi construído o chamado Cinturão Solar do Leste, com instalação de várias usinas geradoras.

Com as novas instalações, em 2016, o Japão conseguiu ampliar sua capacidade em 8.600 megawhatts. A capacidade total do país, conforme dados de 2016, era de 42.800 megawhatts. Em novembro de 2018, foi inaugurada a maior usina geradora do país, com 900 mil painéis fotovoltaicos, ocupando uma área de 265 hectares.

3. Alemanha

Apesar de estar longe de ser um país privilegiado em termos de insolação, como o Brasil, a capacidade de produção da Alemanha alcança 41.200 megawhatts, o que corresponde a 13,6% da produção global. Até 2050, o governo alemão planeja que toda a energia consumida no país venha de fontes renováveis. Além disso, para estimular o desenvolvimento, foram instituídos subsídios às tarifas para energia limpa.

4. Estados Unidos

O país conta com mais de 40 mil megawhatts de capacidade instalada, o que corresponde a mais de 13% da geração de energia solar no mundo. Apesar de o atual governo dos EUA não estimular as energias renováveis, a capacidade do setor fotovoltaico continua em crescimento.

Exemplos de estímulos não faltam. O estado da Califórnia, o que mais incentiva essa fonte de energia, estuda um projeto de lei para obrigar a instalação de sistemas fotovoltaicos em cada nova construção. Já na cidade de Washington, foi assinada uma lei, em fevereiro de 2019, determinando que até 2032 sejam utilizadas apenas fontes renováveis para gerar eletricidade.

5. Itália

Em quinto lugar, a Itália tem capacidade instalada de 19.330 megawhatts, o que corresponde a mais de 6% de toda a produção mundial. Além do uso em residências, indústrias e outros empreendimentos, o país se destaca na fabricação de drones movidos a energia solar.

Com grande experiência no setor solar, a empresa italiana Enel comprou, em 2018, 73% das ações da Eletropaulo. A empresa, que atua com geração, transmissão e distribuição de energia no Brasil, tem capacidade instalada para geração solar (no território brasileiro) de 819 megawhatts. Sua chegada ao mercado nacional poderá contribuir ainda mais para o crescimento do setor.

Fique por dentro do cenário brasileiro de energia solar

Em 2018, a capacidade instalada de energia solar no mercado nacional atingiu 2,5 gigawatts, um crescimento de cerca de 115% na comparação com o resultado de 2017, de acordo com a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR).

Ainda assim, essa fonte de energia representa apenas 0,8% do total consumido no país. A geração energética nacional é baseada, principalmente, no uso de hidroelétricas e usinas térmicas.

Algumas iniciativas governamentais, como o programa Renovabio, que pretende estimular o crescimento do uso de fontes alternativas e renováveis, devem promover a expansão do setor. Além disso, o aumento das linhas de financiamento e programas de incentivo voltados, principalmente, a consumidores residenciais e agricultores, também contribuirá para alavancar o mercado.

De acordo com a ABSOLAR, esses sistemas de pequeno porte, conhecidos como geração distribuída, apresentam um crescimento mais acelerado, com alta de 124% em 2018, em relação aos dados de 2017. Já as grandes plantas solares cresceram 114%, conforme a associação.

As razões do crescimento são tanto os estímulos quanto a redução do investimento, que aconteceu em função da importação de equipamentos chineses. Além disso, muitos consumidores já percebem uma redução real nas tarifas de energia elétrica e valorizam o fato de não estarem mais sujeitos à falhas do sistema e variações tarifárias.

Embora o Brasil ainda esteja atrás de vários países que usam energia solar, o potencial é elevado e algumas iniciativas estão surgindo para estimular a expansão do mercado. Em 2027, segundo dados da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), a energia solar deverá corresponder a 3% de toda a energia consumida no país.

Gostou das informações e quer ficar por dentro de todas as novidades do setor de energia solar fotovoltaica? Então, assine agora mesmo nossa newsletter!

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-