Saiba por que investir no mercado de drones é uma boa opção

O mercado de aeronaves não tripuladas, popularmente conhecidas como drones, avança a passos largos no Brasil e tudo indica que 2018 será um ano próspero. Um dos fatores que impulsionou este crescimento no mercado brasileiro foi a regulamentação do setor pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) no dia 02 de maio de 2017. Assim, no ano passado, houve a disseminação desta inovação no país, tanto para uso doméstico quanto comercial. Trata-se de um negócio que cresceu significativamente nos últimos anos e está cada vez mais em expansão.

Quer conhecer algumas das aplicações dos drones? Saber um pouco mais sobre o setor? Continue lendo este post que preparamos para apresentar a você as tendências para os drones e as suas respectivas vantagens.

As razões pelas quais o mercado brasileiro de drones é promissor vão desde influências econômicas aos benefícios proporcionados pela tecnologia. Como os drones alcançam espaços de difícil acesso e são capazes de captar problemas com maior exatidão e rapidez, viabilizando soluções para os mais variados segmentos.

Um relatório publicado pela consultoria PwC apontou que as aeronaves não tripuladas para finalidades comerciais poderão movimentar mais de US$ 127 bilhões até 2020 em todo o mundo. Para chegar a esse resultado, a consultoria analisou quais são os serviços que podem ser favorecidos com o uso de drones. Segundo o estudo, alguns dos setores que mais utilizarão essa tecnologia são: agrícola; infraestrutura; segurança; transporte; telecomunicações; entre outros.

O Brasil é um dos maiores exportadores de produtos agrícolas do mundo. As aeronaves não tripuladas podem fazer um monitoramento minucioso da produção agrícola. Os drones, dependendo do equipamento e da necessidade, são aptos a analisar áreas para aplicação de defensivos e fertilizantes, monitorar pragas e doenças, diagnosticar falta de água ou nutrientes, entre outras tarefas. Portanto, as aeronaves não tripuladas ajudam os produtores a reduzir os custos em suas lavouras e proporcionam ganhos de eficiência nas operações agrícolas. Segundo o especialista em tecnologia de drones para a agropecuária, Northon Napoleão, “a agricultura é o que certamente vai puxar o mercado de drones daqui em diante”.

No setor da construção civil, os drones também estão ganhando mais espaço. Com o mapeamento aéreo, pode-se visualizar a extensão total da área e, assim, elaborar projetos com maior precisão. Do mesmo modo, é possível avaliar em detalhes a infraestrutura e detectar se as condições físicas estão adequadas e seguras para as pessoas. De acordo com o relatório denominado “Drones in Building and Construction Inspection Global Market Outlook 2016 – 2025”, do Renewable Market Watch™, os drones realizam o trabalho de inspecionar edifícios e processos de construção mais rapidamente e com um custo bem menor do que métodos tradicionais. Imagine, por exemplo, em situações de desastres ambientais, como as aeronaves não tripuladas podem contribuir para avaliar as estruturas danificadas e, desse modo, demostrar qual é o cenário com maior presteza, podendo ajudar a salvar vidas. Por estes e outros motivos, é uma tecnologia cada vez mais valorizada pelos profissionais do campo da construção civil.

Na área ambiental, as aeronaves não tripuladas são capazes de voar em trechos praticamente inacessíveis e, assim, tornam-se alternativas econômicas e eficientes para identificar possíveis problemas ambientais, tais como: desmatamento; extinção de espécies; degradação do solo; etc. Para se ter uma ideia, a World Wildlife Fund (WWF), organização não governamental internacional, passou a utilizar drones em suas investigações ambientais.

Também, os drones podem ser excelentes vigilantes. Na Aldo, a equipe de segurança conta com o suporte de drones no monitoramento da empresa para indicar qualquer tipo de irregularidade. Em alguns países, como a França, por exemplo, um dos planos futuros é usar as aeronaves não tripuladas para auxiliar na segurança pública.

Expectativas para o futuro

A tendência é que as operações dos drones sejam mais autônomas. Hoje, a maioria das aeronaves não tripuladas são para operações Visual Line Of Sight (VLOS), o que significa que o piloto mantém contato visual direto com o seu drone, ou seja, ele consegue vê-lo sem o auxílio de lentes ou equipamentos. Porém, profissionais da área acreditam que o mercado de drones com operações Beyond Visual Line Of Sight (BVLOS), isto é, ao contrário de VLOS, irá expandir nos próximos anos. Neste sentido, algumas profissões poderão deixar de existir, enquanto outras surgirão.

Estima-se que drones poderão fazer entregas de produtos no futuro, o que provocará, sem dúvida, uma enorme mudança no setor de transportes e logística. Por fim, com as aeronaves não tripuladas, as empresas conseguem administrar melhor os seus ativos, pois as imagens e os dados providos pela tecnologia podem ser analisados de forma estratégica para uma tomada de decisão mais assertiva.

A Aldo, distribuidora de produtos de TI, Energia Solar e Drones, com mais de 35 anos de mercado, é distribuidora autorizada da DJI, que representa mais de 70% do mercado mundial de drones e vem expandindo fortemente sua atuação no Brasil. Saiba mais em em nosso portal. Clique aqui

 Continue acompanhando nosso blog e fique sempre a par das novidades e tendências sobre drones!

Aldo Componentes Eletrônicos

A ALDO é distribuidora de produtos de TI, Energia Solar e drones. Fique por dentro desses mercados com a gente e seja um revendedor autorizado!

Aldo Componentes Eletrônicos
Aldo Componentes Eletrônicos

A ALDO é distribuidora de produtos de TI, Energia Solar e drones. Fique por dentro desses mercados com a gente e seja um revendedor autorizado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Share This