Energia solar térmica e fotovoltaica: entenda as diferenças

Com a questão da sustentabilidade cada vez mais em voga, você já deve ter ouvido falar em energia solar térmica e energia solar fotovoltaica, mas talvez não saiba qual a diferença entre elas. As primeiras evidências de que é possível extrair energia do sol surgiram ainda no século XIX, mas a procura por novas fontes energéticas só se tornou um foco há algumas décadas, quando ambientalistas apontaram a urgência da mudança. 

A geração de energia é primordial para o funcionamento da sociedade contemporânea. Os combustíveis fósseis estão com seus dias contados, tanto pela finitude de suas reservas quanto pelas substâncias nocivas à saúde e ao equilíbrio ecológico que geram na sua queima. Mais do que nunca, a pesquisa e o investimento estatal de diversos países estão focados nas fontes renováveis — o mundo começa a transição para uma era de energia verde. 

A preocupação não atinge apenas os governantes: o meio ambiente é um bem coletivo e precisa ser protegido por todos. Além disso, os recentes riscos de apagão colocaram a população brasileira em alerta — sem as devidas precauções, poderá haver um colapso na produção e na distribuição energética nacional.

Felizmente, a energia solar é uma opção que pode ser feita de forma individual, sem esperar pela iniciativa do poder público. Com a tecnologia atual, espaços residenciais, comerciais e industriais já podem gerar sua própria energia in loco, uma medida que permite economia sustentável e segurança energética.

Mas, afinal, qual escolher: energia solar térmica ou voltaica? Continue lendo para saber mais e tirar suas próprias conclusões:

Qual a diferença?

Ao longo do texto, vamos desdobrar todas as peculiaridades de cada sistema, mas a essência da diferenciação entre os dois sistemas é o tipo de energia que cada uma capta e, por consequência, as utilidades que cada uma pode ter.

A energia solar térmica consiste na captação do calor emanado pelo sol e, posteriormente, na sua transmissão para a água. Essa água aquecida pode ser utilizada em chuveiros, torneiras ou piscinas, de acordo com as intenções do proprietário. Sua tecnologia é um pouco mais simples que a de geração elétrica e está disponível para consumo há mais tempo, já possuindo grande adesão no mercado brasileiro.

O sistema de energia solar fotovoltaica, por sua vez, transforma a luz do sol em eletricidade. Como ela, você pode realizar tudo que já faz com a energia que recebe da concessionária, a grande diferença é que será gerada no telhado da própria edificação e sem tarifas mensais para isso — ela é sua!

Como funcionam?

Ambas utilizam placas voltadas para captar a energia do sol, mas é basicamente aí que a semelhança acaba. A energia solar térmica precisa de um material que absorve e transmite o calor do sol com facilidade, geralmente utilizando um metal pintado de preto. Por trás do painel passa uma tubulação de água ligada, que é aquecida por difusão. 

Com o aumento da temperatura, a água se torna menos densa e, pelas leis da hidrodinâmica, tende a subir. Dessa forma acontece um fluxo na tubulação, levando a água quente para o boiler, onde fica armazenada, e trazendo água fria da caixa para a placa sem gastar eletricidade para isso. Do boiler, a água será distribuída para o sistema de abastecimento da casa, de acordo com as adaptações do encanamento. O ideal é deixar a opção de temperar a água quente com a água fria, para não correr o risco de queimaduras.

Na energia solar fotovoltaica, os fótons (partícula elementar da luz) atingem o silício da placa e excitam os elétrons, criando uma corrente elétrica. Esse fenômeno é conhecido como efeito fotovoltaico. A energia gerada está em corrente contínua, enquanto os nossos aparelhos eletrônicos são feitos para corrente alternada. Por isso, a eletricidade precisa ser convertida antes de ser utilizada. 

Depois do conversor, a energia está pronta para uso. Caso a demanda no momento seja menor do que a produção, a energia pode ser armazenada em baterias recarregáveis, para ser utilizada depois, ou enviada para a rede convencional. Nesse caso, deve-se utilizar um medido bidirecional e, assim, a energia que sai para a rede é descontada na conta de luz, pagando-se apenas pelo excedente (se houver). 

Quais as vantagens e desvantagens?

Agora que conhecemos os dois sistemas, vamos a uma comparação de seus pontos fortes e fracos:

Custo

Ambas precisam de um investimento inicial e prometem retorno a médio e longo prazo. Uma vez montada a estrutura, bastam manutenções periódicas para garantir o bom funcionamento. Até pouco tempo, a energia fotovoltaica era muito cara e considerada inviável do ponto de vista econômico, mas atualmente seu preço melhorou muito, tanto por incentivo fiscal quanto por barateamento das tecnologias. 

Economia

Os dois sistemas geram economia, reduzindo a conta de luz. A energia solar térmica evita o uso do chuveiro elétrico, grande vilão do consumo de energia, enquanto a fotovoltaica substitui o uso de energia da rede convencional pela autogerada. Por eliminar apenas os gastos com aquecimento de água, o sistema térmico tem uma limitação na economia que pode ser feita, enquanto o fotovoltaico pode, praticamente, eliminar os gastos com eletricidade.

Em dias frios, a captação de calor do sol é muito menor e o sistema de aquecimento solar pode não dar conta do serviço, especialmente porque é quando a demanda está mais alta. Os boilers geralmente têm uma fonte de calor alternativa, como gás ou resistência elétrica. Quando é preciso recorrer a isso, não se pode dizer que há economia nesse sistema. A energia fotovoltaica, por outro lado, mantém um bom desempenho mesmo em dias nublados, não sofrendo interferência de baixas temperaturas.

As placas de energia solar têm durabilidade muito alta, numa média de 25 anos de uso, podendo chegar a 30 anos. Isso mostra como a economia se dá a longo prazo. Há alguns anos, a previsão era de retorno sobre o investimento depois de 60 meses. Agora, já se trabalha com o prazo de 40 meses.

Utilidade

É possível utilizar ambas as formas de energia solar para aquecimento de água, seja por absorção do calor do sol, seja pelo uso de resistência elétrica. No entanto, a energia solar térmica não serve para geração de eletricidade — pelo menos não com a tecnologia disponível no momento. Assim, podemos dizer que a energia solar fotovoltaica é mais completa.

A Aldo é uma companhia brasileira com mais de 3 décadas no mercado. A geração de energia solar fotovoltaica é um dos carros-chefe da empresa, trabalhando com os melhores equipamentos disponíveis e entregando pedidos com máxima eficiência logística. Seja sua demanda micro ou macro, a Aldo é do tamanho certo pra você!

Se você já está pronto para a energia do futuro, venha conhecer nossos serviços. Estamos sempre prontos para atender!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Share This